segunda-feira, 30 de março de 2015

Livros Físicos Lidos em Março


Olá galera, como estão? Hoje vim contar para vocês quais foram os livros que eu li em março, para o post não ficar muito longo eu dividi em livros físicos e em e-book. Foi um mês muito corrido pra mim, a faculdade estava em greve e eu tinha vários livros atrasados para ler, então decidi ler algo um pouco mais light.

Eu havia visto alguns vídeos falando sobre a trilogia dos Jogos Vorazes e acabei ficando com muita vontade de ler. No começo eu achei ruim, já que minha edição tinha alguns erros de português, mas ao longo das páginas a narrativa foi me envolvendo, era um mistério a cada capítulo e eu fiquei muito curiosa para saber o que aconteceria

Fujo do que não consigo combater. Do que só pode me trazer danos. Só que dessa vez é o meu coração, e não o meu corpo, que está se desintegrando.
Porém, achei que os personagens principais não estavam muito focados. Faltou um pouco de ação envolvendo a Katniss e o Peeta, gostaria que tivesse sido citado mais as aventuras de Peeta, porém, o fato de ser narrado pela Katniss nos deixa mais aflitos acerca dos pensamentos dos demais personagens e isso foi uma das coisas que mais gostei no livro, essa incerteza de sentimentos.



Eu havia lido Gerorge Martin em janeiro mas só agora tive coragem de falar dele para vocês. São tantas coisas para falar sobre esse livro que eu nem sei por onde começar. Esse é o primeiro livro de uma série de cinco livros até agora. A Guerra dos Tronos se trata da primeira parte de uma incrível batalha em busca do trono de ferro, a qual não é feita apenas de espadas, mas de várias manipulações e armadilhas morais. A principal marca As Crônicas de Gelo e Fogo é que "Ninguém está a salvo". 

No jogo dos tronos, ou você vence ou morre.

Outro ponto chave é a tênue linha que separa  bem do mal, ninguém é cem por cento vilão ou cem por cento mocinho, todos cometem deslizes morais a fim de defender o que é mais importante para si.


Mark foge de casa, com uma máquina fotográfica, um caderno e seu melhor amigo, o cachorro Beau. Seu plano era escalar uma montanha, o Monte Rainier. Ele deixa para trás as pessoas que ele mais ama, seu pai, sua mãe, e Jess, sua melhor amiga.

Ganhei A Mais Pura Verdade como cortesia da Novo Conceito. Foi um livro que eu adorei ler, me emocionei muito lendo esse livro, princialmente nas páginas finais. Mark me conquistou com seu jeito simples e Beau me encantou com seu companheirismo e amizade. 

Tem resenha desse livro no blog, cliquem aqui e conheça um pouco mais desse livro encantador!
Espero que tenham aproveitado o post, deixe um comentário dizendo o que achou.


sexta-feira, 27 de março de 2015

Top 5: Mais esperados do Lollapalooza

Lollapalooza é um festival de música anual composto por gêneros como rock alternativoheavy metalpunk rock e performances de comédia e danças, além de estandes de artesanato. Esse ano esse festival será realizados dia 28 e 29 de março e conta com diversas atrações. Bora saber quais são os shows mais aguardados do Lollapalooza deste ano? 

Foster the People


Banda de indie pop de Los AngelesCalifórnia, sua música é descrita como pop-dance infundido melódico e rock e abrange vários gêneros. O single mais conhecido é "Pumped Up Kicks" e foi viral em 2010. Criada em 2009, é constituída de 3 integrantes: Mark Foster nos teclados, guitarras e vocais; Mark Pontius na bateria e Cubbie Fink no baixo. Os ganhadores do SharkOne Awards em 2011 se apresentarão no domingo.

Skrillex 


Sonny John Moore, mais conhecido como Skrillex começou sua carreira em 2004, como guitarrista e se apresentará na primeira noite do festival.  Produtor musical americano demúsica eletrônica de gênero dubstep, cantor e compositor, depois de suas indicações no Grammy, Skrillex expandiu seu sucesso e ao lançar o quinto EP intitulado "Bangarang", aumentou a venda de seus EPs e entrou em diversos charts mundiais.


Marina and the Diamonds


Cantora e compositora galesa, chegou a fama em 2010 após ficar em segundo lugar na BBC Sound. Lançou o seu álbum The Family Jewels, em fevereiro de 2010, que chegou ao quinto lugar no UK Albums Chart. O tema do álbum Electra Heart, lançado em 2012 é sobre sexualidade e feminismo. Seu estilo musical varia de baladas com teclado até novas canções de estilo com o apoio da banda completa. O show deve acontecer no sábado e está previsto a duração de 1 hora.

Calvin Harris

Adam Richard Wiles é um produtor,músicoletrista, cantor, compositor e DJ escocês. Dono da gravadora Fly Eye Records, seu álbum de estreia I Created Disco foi lançado em junho de 2007 e tinha faixas como ''Acceptable In The 80's'' e "The Girls". Grande parte de seus singles alcançaram o top 10 britânico. Calvin que se apresenta no segundo dia do Lollapalooza, escreveu e produziu faixas para outros artistas, como Cheryl Cole e Rihanna. 

Banda do Mar


Composta por Marcelo CameloMallu Magalhães e Fred Ferreira, a banda brasileira foi formada em maio de 2014 e será uma das primeiras a se apresentar. O álbum de estréia da banda, ganhou uma prensagem em vinil azul pela Revista NOIZE junto com o vinil, o cliente recebe uma revista que fala sobre o álbum de estréia da banda.


Fonte: Wikipédia. 
Não se esqueçam de participar do sorteio que está rolando no blog, corre que dá tempo! Link oficial: aqui.


quarta-feira, 25 de março de 2015

Lançamentos de Abril - Universo dos Livros


Título: Os Sete Últimos Meses de Anne Frank

Título original: The Last Seven Months of Anne Frank
Autor: Willy Lindwer
SINOPSE

"O 'não escrito' capítulo final do Diário de Anne Frank relata o tempo entre a prisão de Anne Frank e sua morte. A história é contada por meio dos testemunhos de seis mulheres judias que sobreviveram ao inferno do campo de concentração do qual Anne nunca mais voltou.

Inicialmente, o renomado cineasta holandês Willy Lindwer filmou o documentário "Os sete últimos meses de Anne Frank" e, depois disso, resolveu transformá-lo em livro. Para tanto, ele entrevistou mulheres que conheceram Anne Frank.
O livro é composto pelos depoimentos de seis dessas mulheres - algumas que a conheceram antes de sua deportação para o campo nazista, e todas elas durante os últimos momentos em Bergen-Belsen.
As histórias que estas mulheres têm para contar são semelhantes: o tratamento no campo, a forma como conheceram as irmãs Frank e a maneira como todas foram inexplicavelmente tocadas por sua vida. O fato de terem sobrevivido ao campo de extermínio é um milagre em si mesmo. Uma das sobreviventes, inclusive, teve a difícil missão de confirmar a Otto Frank as mortes de suas filhas, Anne e Margot.
Os sete últimos meses de Anne Frank é o triste e verdadeiro relato de uma crueldade inimaginável e do milagre ocorrido para os que sobreviveram poderem contá-lo com suas próprias palavras."

Título: Sempre

Título original: Sempre
Autor: J.M.Darhower
SINOPSE
Esta é uma história sobre sacrifícios, liberdade e amor...
"Haven Antonelli e Carmine DeMarco cresceram em mundos completamente diferentes. Haven é uma adolescente de 17 anos que nunca conheceu a liberdade. Desde a infância, ela e sua mãe são escravas, vítimas de uma rede de tráfico humano. Carmine, nascido em uma família rica da máfia, viveu uma vida de privilégios e excessos.
Agora, uma reviravolta do destino faz que seus caminhos se cruzem. Apesar das diferenças aparentes, algo mais sutil os une. E da tênue amizade entre os dois floresce uma paixão inesperada e arrebatadora.
Enredados numa teia de segredos e mentiras, em que o poder e o dinheiro ditam o jogo, o jovem casal logo percebe que é preciso se sacrificar para conquistar a liberdade e o direito ao amor..."

segunda-feira, 23 de março de 2015

Resenha: Horas Noturnas - Bianca Carvalho

Olá galera, como estão? Hoje vou falar de um livro que conheci esta semana. Ao ver essa capa eu fiquei super curiosa para saber do que se tratava, então eu procurei a sinopse e sabia que precisava ler esse livro. Li pelo wattpad em apenas dois dias, e me surpreendi. Quer saber por quê? 


Título: Horas Noturnas
Autora: Bianca Carvalho
Ano: 2014
Páginas: 200
Editora: EraEclipse 

Sinopse
"Horas Noturnas - Inglaterra, 1863.
Uma bela e delicada mulher com inteligência aguçada para investigação. Um charmoso caçador de assassinos tornando-se lenda por eliminá-los com requintes de crueldade. Um assassino que deixa charadas, com sede de sangue e um gosto peculiar por Edgar Allan Poe...Três almas unidas com diferentes propósitos.
Apenas uma chance de sobreviver.
Quando a noite cai, todas as almas possuem um gosto pela maldade..."

Maryanne Lestrange é uma mulher encantadora, fascinada por mistérios. Porém, na Inglaterra de 1863 as mulheres eram vistas apenas como submissas a seus maridos, enquanto Maryanne odiava a ideia de ter que se casar e ser apenas uma posse de um homem que mal conhecia. Ela possui um gênio forte, quer ser independente e ajudar seu pai, um investigador particular.

Vários foram os casos em que ela o ajudou a solucionar. Era dona de uma inteligência fora do comum, ainda mais para uma moça. Sua beleza despertava encantos em vários pretendentes da cidade, mas ela estava ocupada demais com seus livros para pensar nisso.

Na verdade, gostava de acreditar que era também sua profissão. Não que algum dia conseguisse autorização para trabalhar em uma delegacia ou torna-se sócia de seu pai no escritório de investigação particular, afinal, era uma mulher. E isso trazia apenas frustração para si.
Uma série de assassinatos passa a chocar os habitantes da pequena cidade, e Joseph Lestrange é chamado para investigar o caso. Logo Maryanne intromete-se e pede para ajudá-lo, por mais que Lestrange tenta manter a filha afastada, ela consegue o que quer.

Em cada cena de crime é deixado um bilhete, com um tipo de profecia da próxima morte. A primeira frase é sempre de Edgar Allan Poe, e a segunda de autoria do assassino. Ela acaba por conhecer o Caçador, aquele que ceifa a vida daqueles que sangra os inocentes. A moça fica intrigada com tamanha sagacidade, e a cada segundo aquele que ela pensava estar longe de si, está cada vez mais perto, onde ela nem imagina.

A dor era intensa e angustiante. Não era física, afinal, todos os seus músculos, órgãos e todas as partes de seu corpo estavam funcionante perfeitamente. Todos, com exceção de um: o coração.


Eu adorei esse livro, eu realmente adorei. A escrita de Bianca foi o que mais me chamou a atenção. Ela faz com que os leitores sintam a mesma emoção do personagem. Em cada frase, eu me encantei com o jeito de Maryanne, com a paixão do Caçador e do modo comedido de Joseph. Além disso, cada frase foi escrita para causar um impacto, e cada oração colocados de forma aformar uma teia, para que consigamos solucionar o mistério juntamente com os personagens.

Os nomes escolhidos para os personagens combinaram com suas qualidades, o modo como a autora os descreveu fez com que pudéssemos imaginar suas aparências, além de conseguir dar voz a eles a cada frase. Os personagens falam com paixão, deixando claro sua devoção aquilo que fazem. 

Não conseguia acreditar que alguém pudesse ser tão insensível, tão alheio à tristeza que as pessoas que conheciam e amavam qualquer vítima de assassinato poderiam sentir. Menos ainda, não podia conceber que um ser humano não se comovesse com o fato de uma vida ter sido ceifada antes da hora.

O que também me chamou a atenção, foi a prioridade que a autora deu ao justificar os sentimentos da moça pelo Caçador. Ela apaixonou-se por um homem que mal conhecia e que sequer tinha visto seu rosto, já que ele usava uma máscara. Ela não se deixou levar por fortuna ou pela beleza, ela o queria exatamente porque era corajoso e lutava pelo que acreditava. Assim como ele a amava, não apenas por ser uma linda jovem, mas por ser diferente de todas as moças de sua idade, por valorizar a inteligência e por sua petulância. 

Logo de início eu já soube a identidade do misterioso Caçador. Porém poucas são as pistas a respeito do assassino, a autora focou muito nos detalhes que revelariam quem era o homem por trás da máscara e esqueceu-se de desmascarar o homem por trás dos bilhetes. Vários foram os indícios que nos levaram a crer que uma pessoa conhecida ela o justiceiro, mas nenhum vestígio sobre a possibilidade de o serial killer ser alguém já citado no livro. 

Seus sentimentos estavam feridos, eles doíam como se um tiro tivesse penetrado em cada um deles, perfurando alegrias, esperança, raiva, indiferença, desejo... cada minúsculo centímetro tinha sido afetado pela rejeição.

Ao revelar o assassino e seus motivos, ele ficou totalmente avulso à história. Creio que a autora pecou ao não ter introduzido uma explicação melhor sobre o real motivo dos assassinatos. Tudo foi revelado de forma tão rápido e corriqueira que ficamos a pensar se realmente ele seria o personagem.

Outro ponto negativo, é que pouco foi dito sobre o assassinato da mãe de Maryanne, algumas verdades foram jogadas nos capítulos finais, mas sem explicação alguma. Além de fatos contraditórios que nem haviam sido mencionados. Assim como o motivo para o Caçador ser um homem sombrio, é breve a explicação que se remete ao seu passado. Creio que a autora poderia ter desenvolvido mais esses temas.

"E a alma infeliz, que me tombou dentro da sombra que flutua, não há de erguer-se... Nunca mais..."
Os sinos badalam doze vezes. Corações entre a cruz e a espada.
Ainda há fé em um coração que agoniza?

É um dos melhores livros que já li sobre esse tema, o qual eu gosto muito, assim como a protagonista, sou fascinada por mistérios. Tenho que dizer mais uma vez que fiquei fascinada com a forma que Bianca escreve. Eu me deliciei com cada capítulo deste livro, eu gostaria muito que ele tivesse uma continuação. 
Espero que tenham gostado da resenha, se ficaram interessados é só clicar na imagem acima para comprar. Deixe sua opinião nos comentários! 

sexta-feira, 20 de março de 2015

Resenha: A Mais Pura Verdade - Dan Gameinhart



Olá galerinha, hoje a resenha é de um livro que eu gostei muito! Recebi da Novo Conceito e agradeço pelo mimo. Anteriormente eu já havia feito uma resenha prévia, clique aqui para ver as Primeiras Impressões.

ISBN-13: 9788581636337
Ano: 2015
Páginas: 224
Título Original: The Honest Truth
Tradutor: Leonardo Gomes
Editora: Novo Conceito


Sinopse 
Após viver vários anos lutando contra uma grave doença, Mark percebe que sua vida está acabando e que seu tempo está cada vez mais escasso. Munido de uma mochila e seu cachorro Beau, ele parte em busca de seu sonho, uma aventura que precisa ser vivida o mais rápido possível. A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

Mark foge de casa, com uma máquina fotográfica, um caderno e seu melhor amigo, o cachorro Beau. Seu plano era escalar uma montanha, o Monte Rainier. Ele deixa para trás as pessoas que ele mais ama, seu pai, sua mãe, e Jess, sua melhor amiga.

Eu me encolhi de lado, com o rosto na parede. Beau ficou ali por um segundo, então se encostou nas minhas costas, cuidado de mim. Seu corpo estava quente. Fechei os olhos e me deixei morrer.  Página 48.
Ao longo de sua aventura, ele se mete em várias confusões. Ao descobrirem que Mark fugiu de casa, seus pais avisam a polícia e ela começa a procurá-lo, mas mark despistou-os. Tudo que a família tinha, era a esperança de que ao noticiar o desaparecimento dele na TV, alguém o reconhecesse. Em seu caminho, o garoto contou om várias pessoas que o ajudaram de alguma forma.




À frente, onde a estrada negra desaparecia entre o céu cinzento e as árvores enegrecidas, estava amontanha. Eu ainda não conseguia vê-la, mas podia senti-la mais do que nunca. Como se ela estivesse me observando. Como se estivesse esperando por mim. Página 127.

Eu fiquei em dúvida se o personagem principal era Mark ou Beau. Eles se fundiram de uma forma tão serena. Beau foi companheiro de Mark até o fim, um verdadeiro amigo. Porém, eu achei isso uma coisa muito estranho. Mark ter levado seu cachorro para o perigo consigo, várias foram as vezes que Beau teve de salvar seu dono.

Por algum tempo, principalmente ao final do livro, eu achei que foi uma péssima ideia levar o cãozinho, já que ambos quase morreram. Foi uma atitude irresponsável, mas, o desfecho me fizera entender que Beau era tudo que ele tinha, tudo o que ele poderia querer naquele momento.

Outra coisa que achei estranho é a quantidade de coisas que o garoto levou em sua mochila. No início do livro, ele levava pouca coisa e no minuto seguinte ele já tinha tudo o que precisava. E eram várias coisas. Em alguns momentos ele diz estar com muita fome, mas dias depois descobre-se que sua mochila tinha a comida de que ele precisava.

Eu me emocionei muito lendo esse livro, principalmente nas páginas finais. Gostaria de falar um pouco mais sobre Jess e sobre as pessoas que Mark encontrou durante sua aventura, mas isso não seria possível sem que eu afetasse as considerações dos leitores que inda irão ler este livro. Sei o quanto alguns de vocês não gostam de spoilers, mas se você gosta, pode perguntar nos comentários!

Espero que vocês tenham gostado da resenha, não fiz mais extensa pois eu já havia falado alguns pontos na resenha prévia. Para você entender melhor é só lê-la. E ai, você já leu? O que você achou? Conte nos comentários! Beijos.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Primeiras Impressões: A Playlist de Hayden - Michele Falkoff



Olá galerinha, como estão? Recebi ontem a prévia do livro A Playlist de Hayden, da Novo Conceito e vou contar a vocês o que eu achei dos primeiros capítulos. Bora lá?

Sinopse
A playlist de Hayden - Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente.
Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.

É estranho falar sobre esse livro tendo lido tão pouco dele, não se dá para ter uma ideia geral, já que li apenas alguns capítulos. Mas eu vou tentar ser o mais direto possível, de modo que vocês entendam o que quero dizer.

Logo de cara somos introduzidos a Sam, um garoto solitário que possuía apenas um amigo: Hayden. Primeiro Sam encontra o bilhete, e depois o corpo do amigo. A princípio ele pensa estar dormindo, mas quando percebe que ele não respirava mais, ele entra em pânico.


Os capítulos são muito curtos, e cada um deles tem o nome de uma música. Hayden deixa uma playlist para que Sam ouça e cada uma dessas músicas vão construindo uma ideia ao longo das páginas. Cada capítulo conta a história de uma música, ou nos deixa pensando sobre o objetivo dela na playlist de Hayden. Ele quer que o Sam entenda alguma coisa, mas por incrível que pareça, Sam pouca coisa entende.
A cerimônia já estava quinze minutos atrasada e eu ainda podia ouvir gente chegando atrás de mim. Para um cara que tinha praticamente um único amigo, aquele funeral estava bastante lotado. Ele teria odiado tudo aquilo, eu tinha certeza.
No início eu não gostei muito da história, mas ao longo dos capítulos ela vai ficando mais interessante. O funeral me lembrou muito o funeral do Gus de A Culpa é das Estrelas, pessoas hipócritas que não se importavam com Hay falavam o quanto eles sentiriam sua falta. Seu irmão, que nunca o protegeu quando ele precisou acenou em concordância quando seu pai discursou para as pessoas no velório. Na verdade, essas pessoas deveriam manter a aparência, do quão amável foram com Hay, seu pai não estava discursando para o filho, e sim para a multidão que olhavam com olhos atentos para ele.

No início eu pensei se tratar de um casal, e não dois amigos. Ainda não tenho certeza se era realmente isso, mas os dois tinham uma relação muito afetiva. Eles eram o tipo de amigo que eu adoraria ter.


Na narração do livro, fala-se muito sobre séries, filmes, quadrinhos e vídeo-games, típica coisa de nerd ou geek. Não sou muito ligada nessas coisas, e achei que foi um pouco forçado. A autora fala de Star Wars e de jogos como se o leitor soubesse do que se trata. Quem nunca ouviu falar de Star Trek? Creio que todos já ouviram falar, porém há pessoas que não saberiam dizer sobre o que se trata. Confesso que fiquei meio perdida.

Uma cena de Star Wars veio à minha mente, aquela em que Han Solo fica congelado em carbonita, com as mãos estendidas na frente do corpo como se, de alguma forma, ele pudesse se proteger, com a boca semiaberta em um protesto silencioso.

Eu achei as músicas bem depressivas. Não conhecia todas e por isso procurei algumas no youtube. Achei a escolha muito bacana. Embora algumas sejam músicas relativamente antigas, retrata muito bem o momento vivido por Sam. As canções têm um ar mais adolescente e não vejo a hora de saber quais serão as outras músicas.

Espero que tenham entendido e se interessado por essa história! Beijos, até mais.

A Playlist de Hayden é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

Não esqueça de se inscrever para o sorteio do Mini Trono de Ferro que está rolando no blog, confiram o post oficial aqui.

a Rafflecopter giveaway

domingo, 15 de março de 2015

SORTEIO: Mini Trono de Ferro (Game of Thrones)


Olá galera, como estão? Hoje trago o primeiro sorteio do blog, espero que gostem e participem! Quem acompanha o blog sabe que eu adoro Game of Thrones e por isso resolvi fazer esse sorteio. Eu vi um tutorial na internet e baseado nele consegui fazer esse troninho. Não ficou igual ao da série, muito menos aos dos livros, mas ficou muito fofo!

Regulamento:
Podem participar todos aqueles que residem no Brasil.
Aquele que não cumprir as regras será desclassificado.
Haverá apenas 1 (um) ganhador.
O sorteio será feito pelo Rafflecopter.
O ganhador terá de responder ao e-mail em 72 horas, e se não o fizer, um novo sorteio será feito.
O Blog terá 30 dias para enviar o prêmio.

Para participar é obrigatório:
Seguir o Blog pelo GFC (Google Friends Connect)*
Curtir a página do blog no facebook (aqui)
Compartilhar a foto oficial do sorteio no facebook (aqui)
Deixar um comentário neste post com seu e-mail para contato.

ATENÇÃO: Para validar a participação é preciso preencher o formulário No fim do post.

*Do lado desta postagem tem uma coluna, e uma caixinha escrito "Faça parte", para seguir o blog pelo Google Friends Connect é só clicar em "Participar deste site" e fazer login se necessário.







Sobre o prêmio:
Os participantes estão concorrendo a 1 (um) Mini Trono de Ferro, baseado na série Game of Thrones da HBO.
O objeto é meramente decorativo.
Tem cerca de 25 cm x 15 cm
Os livros não fazem parte do pacote.


As outras entradas são opcionais. Caso cumpri-las, o participante tem mais chances de ganhar.
O período de inscrições vai de 16 de março a 29 de abril.




Desejo boa sorte a todos!
Tutorial da Maddu aqui.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Resenha: O Pacto - Joe Hill


Oi gente! Como estão? Espero que maleficamente bem, porque hoje a resenha é do livro O Pacto, de Joe Hill, filho do rei dos terrores: Stephen King. Nunca li nada do rei, mas admito que tenho muita vontade de apreciar cada um dos muitos livros que ele escreveu.

Não tem livro mais cheiroso que O Pacto, ele é maravilhosamente perfumado. A narrativa é um tanto quanto confusa em algumas partes do livro, mas muito estruturada em outros capítulos. A escolha do título das divisões de capítulos foi ótima, nos deixa mais curiosos para saber o que acontece naquelas páginas amarelas e aromáticas. Ao longo da leitura, a lauda adquiria a textura das palavras, enquanto eu absorvia todo o sentimento dos personagens. Este é um dos livros que eu leria novamente. O Pacto é bom como os diabos, definitivamente! Deixemos de floreamentos ao mestre Hill, e vamos à narrativa.

Título: O Pacto
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Edição: 2010
Páginas: 320
Título Original: Horns
Tradução: Bárbara Heleodora e Hellen Potter
ISBN: 978-85-99296-88-2


Sinopse: "Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida. Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro. Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Descobre também algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis. Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora. Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim."




Atenção: Contém Spoiler! 
Spoilers serão marcados em vermelho

Ig e Marrin se conheceram muito jovens, e desde então tornaram-se melhores amigos e amantes. Aquele tipo de amantes que estão entrelaçados tanto na alma como na carne. Tudo é incinerado quando um assassino, com sua paixão obsessiva e sufocada por todos esses anos, em um ato impensado e impulsivo, mata friamente Marrin Williams. Estuprada e assassinada cruelmente , toda a suspeita recai por aquele que mais queria sua felicidade: Ig Perrish. Após um ano de tortura, sem sua amada, desolado Ig visita o local onde o último suspiro de Marrin fora tirado. A pequena árvore estava enfeitada com a foto da tão amada garotinha de Gideão, e de imagens religiosas, decrépito, Ig urina por todo o local em um ato herege de protesto.

Desde o inicio, o Diabo e as mulheres se uniram contra Deus, desde quando Satanás, na forma de uma serpente, se aproximou do primeiro homem e sussurrou no ouvido de Adão que a verdadeira felicidade não estava nas preces, mas sim na boce** de Eva." Página 191

No dia seguinte, chifres crescem-lhe por suas têmporas, e com elas, Ig torna-se um ouvinte nato. As pessoas falam com ele como se falam-se consigo mesmas, ou pior, com seu demônio interior. Vários são os episódios em que pessoas falaram-lhe coisas grotescas, as quais jamais ousariam pensar perto de alguém. O pior ainda está por vir, ao buscar abrigo na sua família, ouve confissões doentias.


Eu acho esse livro fantástico. Me apaixonei por casa frase desse livro, e a narração de Hill é surpreendente. É muito bom ver o modo como as coisas acontecem, cenas que foram descritas no início do livro só irão fazer sentido nos últimos capítulo, e você fica tipo "Por que eu não pensei nisso antes?". Hill tem uma forma de escrever que te cativa, faz com que você queira ler mais e mais.

"Talvez fosse o preceito mais antigo do demônio, o de que se podia sempre confiar nos pecados para revelar o que havia de mais humano em uma pessoa, fosse para o bem, fosse para o mal"
Os personagens foram muito bem trabalhados, principalmente a forma como o assassino é descrito. Estava meio óbvio quem era o assassino, ficamos nos perguntando o livro inteiro o porquê dele ter feito isso, e pistas vão sendo dadas para que o leitor desvende isso. Porém, quando ele confessa, ficamos boquiaberto da frieza de seus atos, realmente fiquei com muita raiva nesse livro depois de saber os motivos do assassinato.

É impressionante como você pensa tratar-se de uma coisa, mas o autor desmente esse fato. Eu pensava que Merrin era uma garota tímida, inocente, mas ela é muito mais do que isso. No decorrer dos fatos e dos relatos do passado é possível descobrir uma Merrin que poucos conheciam. Ela era muito diferente de acordo com a ocasião e principalmente, com as pessoas.


Uma coisa que não gostei, é que Ig sofreu muito. Se já não bastasse perder a pessoa que ele mais ama e ainda ser acusado de tê-la matado, Perrish é praticamente trucidado pelo assassino de Merrin. Eu realmente achei que ele morreria sem vingar a morte dela. Porém, quando o faz, parece que faltou coisas, não fiquei satisfeita com o modo em que ele se vinga, quase não parece uma vingança.

Um ponto negativo do livro é que o leitor fica sem saber o porquê de Ig ter se transformado em uma espécie de diabo. E que final foi aquele? Parece que Joe estava com dó do assassino, eu fiquei foi é com raiva, muita raiva. Sinceramente, eu esperava que ele tivesse um pouco de consideração com seus leitores e revelasse o motivo dos chifres de Ig.

Em suma, é um livro fantástico. Eu sempre recomendo esse livro. Embora não seja de terror, alguns trechos são assustadores. Hill fala de uma forma como se ele fosse o dono da verdade, isso nos leva a pensar sobre algumas coisas da vida. Principalmente quando ele critica a Igreja, passamos a refletir sobre o que ela realmente quer conosco.

Espero que tenham gostado da resenha. Qual sua opinião? Deixe nos comentários!

quarta-feira, 11 de março de 2015

Maria Responde: #Tag: Mitos da Depressão




Oi galera, como estão? Espero que bem! O blog foi convidado pelo Ítalo do blog Eu li e Você? para responder a Tag Mitos da Depressão, criado por ela e pela Bárbara da Toca dos Livros. Confira as respostas do Ítalo aqui e da Bárbara aqui, bem como seus indicados. Vamos lá?

"Philos nos mostra um amor fraternal, Eros nos mostra o amor carnal e Ágape se refere ao amor sacrificial, que você não pede nada em troca. As três formas de amor podem se manifestar em três níveis e estes se completam."


Philos: Aquele livro que te ajudou, foi para você com um irmão sempre com os melhores conselhos.



Esse livro me ensinou a ter muita paciência. Tanto com o seu enredo devagar que chegou a dar sono, como em seus conselhos!


Eros: Um livro que te proporcionou prazer e a vontade de de viver tudo que era descrito.


Mesmo que Percy esteja em uma baita duma enrascada em todos os livros, ele tinha amigos que estavam com ele. Foi uma aventura realmente muito intressante.

Àgaphe: Aquele Personagem que você deseja cuidar.


As vezes eu tive tanta pena do Harry que fiquei com vontade de lhe dar um baita de um abraço!

"As três fúrias eram espíritos femininos de justiça e vingança; Alecto é implacável, espalha pestes e maldições. Megera personifica o rancor, inveja e ciúme. Tisífone enlouquece os culpados, vinga as vítimas de assassinato."

Alecto: Um livro que te deixou morrendo de raiva.


 Fiquei com muita raiva dos acontecimentos desse livro. É muita desgraça para uma pessoa só, como Ig pôde ser tão azarado?

Megera: Aquele livro perfeito que você morre de ciúmes. 


 Esses eu não empresto para ninguém, são meus xodós. Ganhei eles de três pessoas muito especiais na minha vida.


Tisífone: Aquele livro enlouquecedor. 


A cada segundo Clarissa mudava de versão, ela contou tantas mentiras que eu me perdi na história, esse foi enlouquecedor!

Blogs Indicados para responder a Tag


segunda-feira, 9 de março de 2015

Vida Desalmada: 21 Anos da Morte de Charles Bukowski




Hoje faz 21 anos que o velho safado morreu. Charles Bukowski foi um poeta e tanto, contista e romancista. Nasceu na Alemanha e aos três anos mudou-se para os Estados Unidos com os pais. Sua infância e adolescência foram difíceis, tal qual sua vida adulta.

Passou 50 anos de sua vida em Los Angeles, onde simultaneamente bebeu e escreveu seus melhores livros. Aos 24 anos de idade publicou seu primeiro conto, e somente aos 35 publicou suas poesias.  Suas obras são de caráter extremamente autobiográficos. Ficou conhecido por escrever a realidade nua e crua, da sua forma mais poética. Escreveu sobre pessoas à margem da sociedade, como prostitutas, bêbados e viciados. Em cada pessoa miserável é possível encontrar um pouco do Hank.

Não é difícil se identificar com cada personagem descrito pelo velho safado. Buk tem um estilo livre que não se deixa abater pela moral. Dotado de um senso de humor cético, ele ri e nos faz de sua e da desgraça alheia.



Considerado o último escritor maldito da literatura norte americana, casou-se e teve uma filha e se separou. Publicou mais de 45 títulos e conseguiu uma legião de fãs pelo mundo. Chegou a ser internado duas vezes com início de hemorragia devido ao abuso do álcool e do cigarro.

Hoje, após 21 anos de sua morte. Seus fãs relembram de seus feitos em vida. Tornou-se um hábito comum visitar seu túmulo e despejar a 'bebida sagrada' em seu túmulo. Muitos levam bebidas alcoólicas e fazem sua oferenda ao velho safado.

sexta-feira, 6 de março de 2015

5 Escritoras para ler antes de morrer



Para que nós comemorássemos o Dia da Mulher, muita luta teve de ser feita. Embora tenha perdido seu caráter original de relembrar a luta das mulheres e passou a ser um dia festivo e puramente comercial, é preciso ser lembrado. Atualmente, no Brasil apenas 5% dos cargos de chefia são ocupados por mulheres. Essa luta ainda não acabou. Que tal começar com a visibilidade feminina na literatura?
Simone de Beauvoir 

A parisiense nascida em 1908, foi além de escritora, filósofa existencialista e feminista francesa. Grande parte de sua obra tem caráter feminista, com uma análise aprofundada no papel das mulheres na sociedade. Aos 41 anos, Simone publicou sua obra prima: O Segundo Sexo. É uma obra de inspiração, fundamental para descortinar a maneira pela qual as mulheres são criadas justamente para serem menos que os homens. O livro foi acusado por moralistas conservadores de ridicularizar os homens. A obra foi recebida com muitas críticas, já que não se era comum tratar de temas como maternidade e sexualidade (mesmo no cenário pós-guerra). Não era corriqueiro que as mulheres tivessem voz.
Joanne Rowling
(J.K. Rowling)


Escritora britânica de ficção, é autora dos sete livros da premiada série Harry Potter, Morte Súbita e de dois livros sob o pseudônimo masculino de Robert Galbraith, O Chamado do Cuco e O Bicho da Seda. Poucos sabem, mas ela recebeu o conselho da editora para que abreviasse seu nome, e usasse apenas iniciais para que assim eles também atraíssem a atenção masculina.

Jane Austen
Escritora inglesa do século XVIII, é conhecida por diversos livros, dentre eles Orgulho e Preconceito, que se tornou um clássico. Em Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito), surge um debate entre os personagens sobre o que era comum acerca de uma dama ideal. Para a aristocracia, uma boa dama era aquela que dava bons exemplos, era culta e falava vários idiomas, entendia de música, tenha carisma e uma expressão a favoreça (beleza). Diante disso, Jane colocou em xeque tal pensamento, ao questionar como uma mulher teria todas essas qualidades ao mesmo tempo, e responde: "Não duvido que conheçais apenas uma dezena; duvido que conheçais alguma". Pertencente à nobreza agrária, Austen começou Persuasão em agosto de 1815, mas um ano depois começou a se sentir mal, suas últimas palavras foram: "Não quero nada mais que a morte".


Clarice Lispector 


Se consagrou como escritora, contista, jornalista e ensaísta, tornando-se uma das figuras mais influentes da literatura brasileira e sendo considerada uma das principais influências da nova geração de escritores brasileiros. Nascida na Ucrania, naturalizada brasileira, fazia questão de declarar: Sou pernambucana. A Hora da Estrela, Laços de Família e Perto do Coração Selvagem fazem parte de suas principais obras.Em sua obra, teve o objetivo de atingir a parte mais profunda da mente. Suas histórias não partem do tempo cronológico, e sim do psicológico. Em grande parte dos livros a personagem é feminina, dando enfoque ao monólogo interior. As personagens descobrem-se através de uma epifania, o que fará despertar da vida, levando-a ao desequilíbrio e mudá-la completamente.

Agatha Christie 


Escritora britânica, destacou-se por seus romances policiais e passou a ser chamada popularmente de Rainha do Crime e/ou Dama do Crime, tendo publicado mais de 80 livros. Ao todo, 12 das obras citam a personagem feminina Miss Marple, uma detetive já velha e solteirona que desvenda os mais difíceis mistérios. Miss Marple nunca trabalhou porém sempre foi independente, as vezes, é considerada confusa e caduca, mas desmente tal afirmação quando desvenda os mistérios, mostrando ter uma mente lógica e afiada. Para resolver os mistérios, a anciã utiliza de seus conhecimentos sobre a natureza humana, tal qual suas fraquezas, forças e truques.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Primeiras Impressões: A Mais Pura Verdade - Dan Gemeinhart


Olá galerinha, como estão? Hoje vamos falar sobre o primeiro livro de Dan Gaminhart, publicado pela Editora Novo Conceito, a qual tenho de agradecer pelo mimo.

Sinopse

"A Mais Pura Verdade - Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.
Mas, em certo sentido um sentido muito importante, Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram. 
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier. Nem que seja a última coisa que ele faça."


É um pouco difícil falar desse livro tendo lido tão pouco dele. No início fiquei receosa de ser mais uma daqueles livros adolescentes sobre câncer. E olha que este é muito semelhante à Culpa é das Estrelas: a capa é azul e o protagonista tem câncer. Voilà. Espero poder ler o restante da história para sanar esta dúvida.


Os capítulos são muito curtos, cerca de três ou quatro páginas. A leitura é bem leve e rápida, e linguagem é muito simples. Porém o assunto abordado não é simples. 

Uma das coisas que eu mais gostei no Mark, é que ele persiste com seus sonhos. Embora saiba o que está prestes a acontecer, ele não deixa de tentar. Até quando surgem algumas barreiras em seu caminho, ele consegue passar por cima delas. Muitos de nós adultos e saudáveis deixamos de seguir nossos sonhos com medo das tribulações, enquanto Mark teve a inocência  coragem de acreditar em si mesmo, por mais frágil que fosse.

Outra coisa que adorei neste livro, foi o quão amigo um cão pode se mostrar. Mesmo no escuro com fome e com medo, Beau protegeu seu dono, e não o deixou em nenhum momento. A relação dos companheiros mostrado na narração é muito bonita, o carinho que o cão oferece à Mark é tão grande quanto o que recebe dele.



E sim, eu quis muito abraçar o Mark enquanto eu lia este livro. Assim como eu, ele preza as pequenas coisas da vida. Ama haicais e fotografias. A parte mais bonita da narrativa é quando ele explica o porquê de gostar tanto de fotografias e esse trecho deixa o livro ainda mais emocionante. Vale a pena ler esse livro simplesmente pela sua explicação e o que isso tem a nos acrescentar.

Eu adoraria saber o que acontece com Mark e sua montanha. A única coisa que me decepcionou foi as repetições de frases. Eu adoro quando o nome do livro é citado na história, mas dessa vez foi demais. "A mais pura verdade é.." ".. essa é a mais pura verdade", isso foi ficando cansativo.

Eu adorei a arte gráfica da capa, dá ainda mais vontade de ler. E depois de já lido, passa a ficar ainda mais fofo. Espero que tenham gostado. Beijocas.

"A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável."


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©